Diferenças entre Religião e Seita

Como essa página é destinada a todas as manifestações religiosas e culturais, resolvi escrever essa matéria, para esclarecer como são feitas as divisões entre Religião e Seita.

Diferença entre Religião e Seita

Depois de longa pesquisa em sites comuns, Católicos e Evangélicos, vi enorme diferença em como cada um deles vê o outro. Por isso, resolvi colocar a visão desses grupos.

A Religião segundo visão geral

RELIGIÃO Deriva do termo latino “Re-Ligare”, que significa “religação” com o divino.
Essa definição engloba necessariamente qualquer forma de aspecto místico e religioso, abrangendo seitas, mitologias e quaisquer outras doutrinas ou formas de pensamento que tenham como característica fundamental um conteúdo Metafísico, ou seja, de além do mundo físico.

A Seita segundo visão geral

SEITA, derivado da palavra latina “Secta”, nada mais é do que um segmento minoritário que se diferencia das crenças majoritárias, mas como tal também é religião.

A Religião segundo o Catolicismo

São dirigidas por ministros formalmente preparados, que funcionam numa estrutura burocrática.
São instituições formais (maiores e mais estabelecidas) que intelectualizam os ensinamentos religiosos e limitam o emocionalismo em seus ofícios.
Oferecem aos fiéis uma liturgia formal e orações prontas, sob formas que retratam o divino como distante da vida cotidiana.
A maioria dos seus membros já nasce na instituição.

A Seita segundo o Catolicismo

Seus líderes precisam ter dotes espirituais e carismáticos.
Esses Líderes levam os adeptos ao fanatismo, intolerância e escravidão pela lavagem cerebral.
Os fiéis se excluem socialmente.
Os seus líderes são autoritários (exercerem o poder de ditadores).
Os seus líderes são mercenários (têm ganância pelo dinheiro)
Os seus líderes ostentam e promovem a luxúria.
Os sectários são escravos do proselitismo.
Os seguidores são manipulados e alienados através de lavagens-cerebrais.
Os seguidores têm sua vida pessoal vigiada pela seita.
Pregam incessantemente sobre o fim do mundo para coagir seus membros, fazendo-os fugir da realidade, tornando-se egoístas.
Quando os líderes sectários se envolvem na política partidária, lutam apenas pelos seus próprios interesses.
Geralmente esses líderes são doentes pelo poder terreno.

A Religião segundo o Protestantismo

Movimento religioso geralmente de maiorias.
Centrada numa doutrina.
Compromete-se com a sociedade buscando servi-la, melhora-la.
É universalista.
Promove a utopia da sociedade sem classes (todos iguais em seu interior).
O ingresso é voluntário.
Pertencer a ela torna-se algo tradicional.
Geralmente não há mostras externas.
Comunica a fé e a salvação, mas não as tem em seu poder.
O contato com a divindade é extensivo, universal.
É uma possibilidade extensiva a todos.
Recompensas simbólicas futuras e não definidas.
Comunidade, meio de serviço ao mundo (despenseira da graça).
A distância institucional não prejudica a fé dos fiéis.
Embora a fé seja totalizadora, a vida cotidiana do fiel não é controlada pela instituição.
Passividade proselitista.
Liturgias abertas, evidentes, não secretas.
A verdade transcende a instituição e pode expressar-se fora dela.
Doutrinas elaboradas e complexas.
Discurso de âmbito universal.
Apoio econômico à igreja como ato voluntário do fiel (dízimos, ofertas e primícias).

A Seita segundo o Protestantismo

Movimento religioso de minorias.
Ingresso involuntário (ex.: batismo de crianças) e voluntário.
Centralizada em torno de um líder carismático e de uma doutrina.
A relação com a sociedade é de ruptura, de desconfiança.
É seletiva.
Especializada em setores de classes e/ou populações.
Audácia, sentido de heroicidade.
Símbolos externos como identificadores do fiel (ex.: vestimenta, aspecto físico).
Fé e salvação somente existem em seu interior.
Fé coletiva.
O contato com a divindade é exclusividade dela e de seus adeptos.
Recompensas claras e próximas.
Comunidade, refúgio contra o mundo (a graça reside na instituição).
Não há fiéis fora do grupo institucional.
Invade toda a vida do fiel, é controladora.
Proselitismo intenso.
Cerimoniais herméticos, somente para iniciados.
Somente ela proclama a verdade.
Doutrinas simples e claras.
Discurso especializado por setores sociais de interesse.
Bens e dinheiro do fiel são para a seita.

Heresia, Mitologia e Misticismo – segundo visão geral

HERESIA é outro termo mal compreendido. Significa simplesmente um conteúdo que vai contra a estrutura teórica de uma religião dominante.

Sendo assim o Cristianismo foi uma Heresia Judaica assim como o Protestantismo uma Heresia Católica, ou o Budismo uma Heresia Hinduísta.

A MITOLOGIA é uma coleção de contos e lendas com uma concepção mística em comum, sendo parte integrante da maioria das religiões, mas suas formas variam grandemente dependendo da estrutura fundamental da crença religiosa. Não há religião sem mitos, mas podem existir mitos que não participem de uma religião.

MÍSTICA pode ser entendida como qualquer coisa que diga respeito a um plano sobre material. Um “Mistério”.

CONCLUSÃO DA PESQUISA

Para os Católicos -> Todas as denominações protestantes ou evangélicas são Seitas, pois não possuem doutrina e rituais próprios, precisando de parte desses rituais e doutrinas vindos de uma religião (no caso, a Católica).

Para os Protestantes (a maioria) -> Os Católicos, As Testemunhas de Jeová, Adventistas do Sétimo Dia, Mórmons, e evangélicos da Universal do Reino De Deus também são seitas.

Para ambos acima (incluindo os excluídos por alguns protestantes) os Espíritas Kardecistas, Islamitas, e qualquer outra manifestação religiosa são seitas.

Resumindo:

Cada um vê sua CRENÇA como a CORRETA e todas as outras crenças sempre serão SEITAS.

Fontes:

– Bíblia Apologética
http://www.rainhamaria.com.br


Anúncios
%d blogueiros gostam disto: