10 – A chave do tempo

A Chave do Tempo

INTRODUÇÃO ao ORIGINAL: A Interpretação das TÁBUAS DE ESMERALDA DE THOTH: 

Nas páginas seguintes, são revelados alguns dos mistérios que só foram tocados levemente por alguns estudantes sinceros ou por outros professores e alunos de verdade. 

A busca do homem pela compreensão das leis que regulam a sua vida tem sido incessante, mas sempre um pouco aquém do véu que protege os planos mais elevados da visão do homem (e da mulher) comum e mundano, apesar disto a verdade existe, pronta para ser assimilada por aqueles que ampliaram sua visão interior, e não buscaram nada fora de si mesmo, em sua busca

thoth-julgamento-da-alma


As Tábuas de Esmeralda de Thoth: 10 – A Chave do Tempo

  • Ouvi vós, ó homens. Aceitais a minha sabedoria. Saibam dos profundos mistérios ocultos no espaço. Saibam sobre o pensamento que cresceu no abismo, trazendo a ordem e a harmonia ao espaço (à Criação).
  • Não sabeis vós, ó homens, que tudo que existe vem à existência só por causa da Lei. Conhecereis a Lei e sereis livres, nunca se comprometam com os grilhões das trevas.
  • Distante, através de espaços estranhos, eu vaguei na profundidade do abismo do tempo, até que no final tudo me foi revelado. Não sabeis vós que o mistério é somente um mistério quando o seu conhecimento é desconhecido para o homem. Quando vos tiveres sondado o coração de todo o mistério, o conhecimento e a sabedoria certamente serão teus.
  • Buscai e aprendereis que o tempo é o segredo pelo qual podereis estar livre deste espaço (nível de consciência).
  • Por muito tempo eu, a SABEDORIA, procurei pela sabedoria; sim, e devemos procura-la até o final da eternidade, para saber que nunca recuamos devemos nos deslocar para a meta que pretendemos atingir. Mesmo os (NOVE) senhores dos CICLOS sabem que ainda não atingiram à meta final. Mesmo com toda a sua sabedoria, eles sabem que a verdade sempre esta em expansão. 
  • Certa vez, em um tempo há muito passado, eu falei com o morador dos Salões do Amenti. Perguntei-lhe sobre o mistério do tempo e do espaço. Fiz a pergunta que surgiu desde o âmago do meu ser, dizendo: Ó Mestre, o que é o TEMPO?
  • Então, o Mestre falou comigo:
  • “Não sabeis tu, ó Thoth, no início havia somente o VAZIO, o vácuo e mais nada, atemporal, sem espaço, no princípio nada havia. E no VAZIO, do nada veio um pensamento, intencional, onipenetrante, e ele preencheu o vazio. Não existia matéria, apenas uma única força, um movimento, um vórtice, ou vibração do pensamento intencional que preencheu o VAZIO”.
  • E eu questionei o Mestre, perguntando: “Esse pensamento é eterno?”  E me respondeu o morador, dizendo:  
  • “No início, havia o pensamento eterno, e para o pensamento ser eterno, o tempo deve existir. Assim, no pensamento onipenetrante, cresceu a LEI do TEMPO. Sim o tempo existe ocupando todo o espaço, flutuando em um movimento suave, rítmico que esta eternamente em um estado de fixação”.
  • “O tempo não muda, mas todas as coisas mudam com o tempo. Pois o tempo é a força que mantém os eventos separados, cada um em seu próprio e adequado lugar. O tempo não está em movimento, mas vós se moveis através do tempo como a sua consciência move-se a partir de um evento para outro”.
  • “Sim, pois o tempo ainda existe, apesar de tudo, como uma eterna ÚNICA existência. Saibas que, mesmo no momento em que sois separado, ainda assim estamos unidos ao UNO, em todos os momentos existentes”.
  • Cessou então a voz do morador, e eu parti para refletir sobre o tempo. Pois sabia eu que, nas suas palavras havia sabedoria e uma maneira de explorar os mistérios do tempo.
  • Frequentemente eu refleti sobre as palavras ditas pelo morador. Então eu procurei resolver o mistério do tempo. Descobri que o TEMPO se move através de ângulos estranhos. No entanto, apenas através dos círculos (ângulos) eu poderia esperar alcançar a chave que me daria acesso à compreensão do espaço-tempo. Eu então descobri que só se movendo para cima e mais uma vez, movendo-me para a ala direita eu poderia ficar livre do tempo do movimento.
  • Eu sai para fora de meu corpo, me transferi para dentro dos movimentos que me alteram com o tempo. Estranhas as visões que tive e que eu vi em minha viagem, muitos dos mistérios se abriram para que eu os visse. Sim, eu vi o início do homem, aprendi com o passado de que nada é realmente novo.
  • Buscai, ó homem, por aprender o caminho que conduz através dos espaços que são formados adiante no tempo.
  • Não te esqueças, ó homem, com toda as tuas forças buscai pela Luz que é o objetivo que haveis procurar alcançar com todas as tuas forças. Procure pela Luz em teu caminho e nunca mais para ti a meta permanecerá obscura.
  • Não deixe o te coração se voltar para às trevas. Que a LUZ da tua ALMA brilhe e seja um Sol no caminho. Sabei que o brilho eterno, sim, deve sempre encontrar a tua Alma abrigada na LUZ. Nunca agrilhoada, não vinculada às trevas, á MATÉRIA, que ela resplandeça como um Sol da Luz.
  • Sim, saiba que embora escondida profundamente na escuridão (dentro do corpo material humano),  a tua Alma é uma centelha, uma LUZ da chama da verdade. Seja UNO com a maior de todas as luzes. Encontre na FONTE, o fim da tua meta.
  • A luz é vida, pois sem a grande Luz nada pode existir. Não sabeis vós, que em toda a matéria criada, no coração de tudo a Luz sempre existe. Sim, apesar de mergulhado na escuridão (da matéria), a Luz inerente sempre existiu.
  • Uma vez eu estava nos Salões do Amenti e ouvi a voz dos NOVE Senhores do Amenti, dizendo em alto som que ecoou pelo silêncio, palavras de poder, poderosas e potentes. Eles cantaram a canção dos ciclos, as palavras que abrem o caminho para o além do além do além. Sim, eu vi o grande caminho aberto e por um instante tive um vislumbre do além. Eu vi os movimentos dos ciclos, tão vasto quanto o infinito pensamento da FONTE poderia transmitir.
  • Eu soube então, que mesmo o Infinito esta se dirigindo para algum fim impensável. Eu vi que o Cosmos é completamente organizado e parte de um movimento que se estende para todo o espaço, uma parte de uma Ordem que segue outra Ordem, constantemente se movendo em harmonia pelo espaço.
  • Eu vi a roda dos ciclos como grandes círculos nos infinitos céus. Eu sabia, então, que tudo o que terá de vir a ser está crescendo para satisfazer ainda outro ser num agrupamento distante do espaço e do tempo infinitos.
  • Eu soube então que AS PALAVRAS são poder para acessar os níveis de consciência que estão escondidos do homem comum. Sim, isso mesmo no PODER do VERBO (A PALAVRA) se esconde a chave que abrirá os céus acima e os infernos abaixo.
  • Sim, agora homem, escute esta palavra que eu deixo contigo. Use-a e achareis o poder em seu som. Dizei a palavra: “ZIN-URU” e encontrareis poder. Todavia, vós deveis entender que o homem é da Luz e a Luz é do homem.
  • Escuteis vós, ó homens, e aprendam um mistério estranho de que tudo está no Sol (na LUZ). Não sabeis vós, ó homens, de que todo o espaço é preenchido por mundos dentro de mundos; sim, um dentro do outro ainda que separados pela Lei (Consciência).
  • Uma vez em minha busca pela sabedoria profundamente enterrada, eu abri a porta que impede os homens comuns de acessar outros mundos. Eu profundamente clamei pelos outros planos da existência, por aquela que era mais justa (a sabedoria-SOPHIA) do que as filhas dos homens. Sim, eu clamei por ela fora dos espaços, para que ela brilhasse como uma luz no mundo dos homens.
  • Eu usei o tambor da Serpente. Eu vestia o manto cor de púrpura e de ouro. Eu coloquei em minha cabeça, a coroa de prata. Em torno de mim o círculo de cinábrio brilhou. Eu levantado os braços gritei a invocação que abre o caminho para os planos mais além, chamei pelos Senhores dos sinais (CONSTELAÇÕES) em suas casas:
  • “Senhores dos dois horizontes, OBSERVADORES dos portões triplos, ficai um à direita e outro à esquerda. Na medida em que a estrela sobe ao seu trono e governe sobre o seu signo. Sim, tu oh príncipe escuro de ARULU,  abra os portões sombrios, acesso da terra escondida e libere quem vós manténs prisioneiros.
  • Ouvi, ouvi, ouvi, Senhores das Trevas e os Brilhantes, e por seus nomes secretos, nomes que eu conheço e posso INVOCAR (o PODER do VERBO), sim me escutem e OBEDEÇAM a minha vontade e COMANDO.
  • Eu, então, ACENDI meu círculo em CHAMAS e clamei por ELA em espaços e planos além do além. FILHA DA LUZ, retorne de ARULU.
  • Por sete vezes sete vezes passei através do fogo. Alimentos sólidos não comi. Água eu não tomei. Eu chamo-te desde ARULU, dos reinos de EKERSHEGAL. Eu chamo-te, Oh Senhora da Luz.
  • Em seguida, levantou-se diante de mim figuras escuras e sombrias; sim as figuras dos Senhores do Arulu. Eles partiram e então surgiu a SENHORA DA LUZ (SOPHIA).
  • Livre estava ela a partir de agora dos senhores das TREVAS, livre para viver na Luz do Sol que ilumina a Terra, livre para viver como uma filha da Luz.
  • Ouvi e escutem, ó meus filhos. Magico é o conhecimento e só ele é a Lei (Dharma). Não tenhais medo do poder (divino) dentro de ti por isso segue a Lei como as estrelas no céu irradiam LUZ .
  • Sabei que, sem conhecimento, a sabedoria é apenas (baixa) magia e não É a LEI. Mas sabeis vós que apenas pelo seu conhecimento (sabedoria=SOPHIA=conhecimento do lado FEMININO da natureza) poderás te aproximar para mais perto de um lugar ao Sol (da LUZ).
  • Escutais, meus filhos, sigam os meus ensinamentos. Sede sempre um buscador da Luz. Brilhem no mundo dos homens ao redor de vós, sejam uma luz no caminho que deve brilhar entre os homens.
  • Sigam-me e aprendam de minha magia. Saibam que toda a força é tua, se tu quiseres. Não tema o caminho que te leva ao conhecimento, mas sim afasta te da estrada escura das trevas.
  • A luz é tua, ó homem, para ser tomada. Arranque os grilhões das trevas e serás livre. Não sabeis vós que a Alma está vivendo em cativeiro agrilhoada por medos que a mantêm prisioneira.
  • Abra teus olhos e veja o grande SOL CENTRAL. Não tenhais medo pois tudo é teu, tua herança. O medo é do Senhor das Trevas ARULU, que nunca enfrentou o medo nas trevas. Sim, eu sei que o medo tem existência própria criada por aqueles que estão vinculados pelos seus medos.
  • Livrem-se das suas amarras, ó filhos, e andem na Luz do glorioso dia. Libertem-se das trevas da noite. Nunca mais gerem pensamentos para a escuridão e, certamente sereis UNOS com a Luz.
  • O homem é apenas aquilo no que ele crê (o homem cria sua REALIDADE PELO SEUS PENSAMENTOS), um irmão da escuridão ou uma criança da Luz. Vamos embora para a LUZ meus filhos. Ande na liderança do caminho que conduz para a LUZ do Sol.
  • Ouçam, pois, e escutem essa sabedoria. Usem a palavra que tenho dado a vós. Usem-na e tenham certeza de que encontrarão poder, sabedoria e LUZ para andar no caminho. Busca em ti mesmo e encontrarás a chave que te dei e para sempre serás um filho da Luz.

“E para quem busca honesta e dedicadamente o crescimento espiritual e lê as Tábuas de Esmeralda com os olhos, coração e mente abertos, a sua sabedoria será aumentada em mais de uma centena de vezes”. 

LEIA. Acreditando ou não, entendendo ou não, mas LEIA. E as vibrações nelas contidas (o Poder do SOM, das palavras, do pensamento, da sabedoria antiga, da Doutrina Secreta) irão despertar uma resposta na tua alma. Em breve elas estarão todas sendo publicadas no blog.

>> Leia o próximo: 11 – A chave para o Acima e o Abaixo <<<

>> Leia o anterior: 9 – A chave da liberdade do espaço <<<

Tradução, edição e imagens, por: www.thoth3126.com.br

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: